quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

RETROSPECTIVA 2011-PROJETO QUESTÃO DE GÊNERO - MP/ES

07/11 - MPES realiza o lançamento do projeto Questão de Gênero
O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça da Mulher, realiza no dia 21, às 16 horas, o lançamento do projeto “Questão de Gênero”, no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça.

O projeto Questão de Gênero visa o desenvolvimento conjunto de atividades voltadas ao aperfeiçoamento do combate institucional à violência doméstica e familiar contra a mulher no Estado.


Também foi exibido, durante o pré-lançamento, vídeo versando sobre o assunto e a vinheta de 30 segundos, veiculada nacionalmente nos intervalos da programação de diversas emissoras como o tema “Margarida”. Produzida pela empresa Full Times, tem por objetivo mostrar à população o quanto é destrutivo se submeter a situação de violência doméstica, principalmente contra a mulher.
A coordenadora do Núcleo de Enfrentamento da Violência Doméstica contra a Mulher (Nevid), a promotora de Justiça Sueli Lima e Silva realizou palestra sobre o assunto e apresentou dados estatísticos a respeito da violência sofrida pelas mulheres.
“A violência doméstica acontece em todas as classes sociais e é considerada como um problema de saúde pública. Noventa e nove por cento deles são causados pelo ciúme”, comentou. Além disso, uma em cada três mulheres no mundo sofreu algum tipo de violência doméstica e cerca de 95% dos casos registrados são reincidentes.

A promotora de Justiça chamou a população para que rompa o silêncio e denuncie os casos de violência. O MPES conta com a Promotoria da Mulher instalada na Rua Serafim Derenze, 11.247. loja 01, Bairro Santa Marta, em Vitória. O telefone é 3227-3000 ou 3227-4663.
Para o diretor do colégio Estadual escolhido para o lançamento, Saulo Andreon, o projeto possibilita que parcela considerável da sociedade tome conhecimento do assunto e vença o medo de denunciar. “As manifestações da sociedade ainda são tímidas, o esclarecimento é um passo a frente para tornar pública a situação”, comentou.
Veja matéria completa no site do Ministério Público do ES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário